Séries de TV

American Gods – 1X04 – Git Gone | Crítica

A misteriosa esposa de Shadow é finalmente conhecida. Com apenas algumas inserções na trama e algumas aparições através de flashback, o quarto episódio de American Gods revela muitas informações importantes sobre a personagem. Esse episódio explica muito sobre quem de fato foi Laura Moon. Tudo que se sabia era que a personagem apenas morreu dias antes da liberdade de Shadow da prisão e que posteriormente revelou-se que ela estava de caso com seu vizinho.

Git Gone o quarto episódio da primeira temporada possui uma grande relevância para o que já foi apresentado nos episódios anteriores, uma vez que ele nos revela em que algumas situações, Laura acabou tendo uma participação mais importante na vida de Shadow, do que se pensava sobre a personagem, mas, não apenas isto, o seu próprio ponto de vista diverge em diversos momentos do que foi apresentado sobre a personagem até então.

Laura Moon vive uma vida que ela acha não ser mais a ideal. Seu emprego já não lhe atrai e as próprias regras de seus chefes chegam a lhe incomodar, mas sente-se presa neste emprego, por ter pagado sua faculdade e pagar suas contas em geral. A personagem encontra-se em um verdadeiro marasmo, até que conhece Shadow, que tenta roubar o Cassino em que a jovem trabalha, mas com uma forte percepção e habilidade, a ligação de Laura e Shadow começa deste ponto. Antes disto apresenta uma forte tendência ao suicídio, tentando buscar nesta opção a minimização de seus problemas.

Seu ceticismo acaba privando-a de viver algumas emoções ou entregar-se ao seu relacionamento com Shadow (que visivelmente é mais feliz com o relacionamento do que Laura). E isso acaba levando o relacionamento dos personagens há outro nível, que culmina na prisão do protagonista em um plano arquitetado por sua esposa, que fica livre, sendo ele o condenado por roubo. A interação de Laura com o passado de Shadow fica claro apenas com a exibição do quarto episódio. Anteriormente não temos ideia do real envolvimento da personagem e o que o roteiro preocupa-se em entregar torna sua relevância ao passado de Shadow, apenas como uma esposa exemplar.

Fato é que a personagem é emblemática e sua entrada na trama, de fato dá uma série de oportunidades para criação de algumas teorias interessantes. Há também que ressaltar que sua morte atinge o ápice do episódio, dando uma nova visão à personagem. Recebendo uma segunda chance ela tentará, fazer com que este seu momento seja um pouco mais relevante, principalmente para aqueles que foram afetados diretamente por suas ações, sendo elas Shadow e a esposa de Robbie, que serviu com uma válvula de escape de Laura, enquanto seu marido estava preso.

Surpreendentemente Laura é capaz de rejeitar o possível futuro que está reservado para elas entre as Trevas, já que a personagem em diversos momentos mostra que não acredita em nada, sendo uma ateia, sendo apenas neste momento que ela reconhecerá a verdadeira importância de Shadow em sua vida e como represália, ela retorna como um zumbi, encontrando assim pela primeira vez, um sentido para sua vida (morte).

Com uma pequena queda no ritmo dos episódios anteriores, Git Gone, acaba revelando mais do que o necessário para o possível desfecho da primeira temporada, afinal estamos na metade da temporada e avançar com algumas tramas se faz necessário, mesmo recorrendo há uma personagem que no final das contas, mostra-se com os primeiros problemas de construção, talvez o roteiro não tenha privilegiado da forma que se deveria, mas há um grande potencial de exploração deste universo fantástico que tivemos as primeiras inserções ao longo destes quatro episódios.

Nota: ✩✩✩✩

Título: American Gods (Deuses Americanos)
Episódio: 1X04 – Git Gone
Exibição: Starz (EUA) | Amazon Prime Vídeo (Brasil)
Lançamento: 15 de Maio de 2017
Elenco: Ricky Whittle, Ian McShane, Emily Browning, Pablo Schreiber, Yetide Badaki, Bruce Langley, Crispin Glover, Jonathan Tucker, Cloris Leachman, Peter Stormare, Chris Obi, Mousa Kraish, Gillian Anderson, Omid Abtahi, Orlando Jones, Demore Barnes, Dane Cook, Kristin Chenoweth, Corbin Bernsen, Jeremy Davies e Beth Grant
Direção: Craig Zobel
Roteiro: Michael Green e Bryan Fuller
Produtores: Bryan Fuller, Michael Green, Neil Gaiman, Craig Cegielski, Stefanie Berk e Thom Beers