Livros

A Desconhecida, de Mary Kubica | Resenha

Há muito tempo um bom thriller psicológico não é lançado no Brasil. A Desconhecida é um livro que reúne os melhores aspectos deste gênero. Heide é uma humanitária que trabalha em uma ONG e todos os dias faz o mesmo percurso pelo trem suspenso de Chicago. Seu trabalho é dar suporte para refugiados que estão com alguma dificuldade.

Esse senso de ajudar o próximo de Heidi é que conduz boa parte da trama, em uma narrativa que te prende do início ao fim. Em umas dessas viagens ela tem o primeiro vislumbre de uma jovem que posteriormente sempre estará na estação com um bebê. Willow e Ruby, assim são identificadas mãe e filha são acolhidas por Heidi em sua casa, já que esse mesmo senso de ajudar o próximo acaba falando mais alto, com as atuais situações climáticas de Chicago, que encontra-se em um frio intenso.

Despertando a ira momentaneamente de seu marido (Chris) e sua filha (Zoe). A autora do livro trabalha muito bem os pontos de vista de cada personagem, fazendo com que em cada momento da história, você se sinta instigado a ficar do lado de um personagem, mesmo sabendo que algumas atitudes deveriam ser diferentes.

Ao estabelecer cada um dos personagens, trabalhando principalmente o seu estado psicológico, A Desconhecida leva o leitor há embarcar em momentos de tensão que vão se desenvolvendo capítulo por capítulo. Há ajuda que está explícita no gênero escolhido pela autora, que descreve todas as cenas pelo ponto de vista dos personagens, sendo grande parte deles, narrado em primeira pessoa. Já em outros momentos o próprio personagem narra sua cena, dando uma oportunidade do leitor construir aquela cena de forma mais envolvente.

A Desconhecida tem uma história pouco provável e que envolve o leitor, construindo essa interação capítulo a capítulo com uma relação de quase dependência, propositalmente ou não, o nível do livro é elevado fazendo que a leitura não se torne cansativa.

Nota: ✩✩✩

Título: A Desconhecida
Título Original: Pretty Baby
Editora: Planeta
Autora: Mary Kubica
Capa: Brochura
Valor: R$ 42,90
Tradução: Fal Azevedo
Quantidade de Páginas: 352
Sinopse: Todos os dias, a humanitária Heidi pega o trem suspenso de Chicago e se dirige ao trabalho, uma ONG que atende refugiados e pessoas com dificuldades. Em uma dessas viagens diárias ela se compadece de uma adolescente, que vive zanzando pelas estações com um bebê. É fato que as duas vivem nas ruas e estão sofrendo com a fome, a umidade e o frio intenso que castigam Chicago. Num ímpeto, Heidi resolve acolher Willow, a garota, e Ruby, a criança, em sua casa, provocando incômodo em seu marido e sua filha pré-adolescente. Arredia e taciturna, Willow não se abre e parece esconder algo sério ou estar fugindo de alguém. Mas Heidi segue alheia ao perigo de abrigar uma total estranha em casa. Porém Chris, seu marido, e Zoe, sua filha, têm plena convicção de que Willow é um foco de problemas e se mantêm alertas. Em um crescente de tensão, capítulo após capítulo a verdade é revelada e o leitor irá descobrir quem tem razão.

Livro cedido para Resenha pela Editora Planeta.

Leia mais sobre Livros