Séries de TV

Legion – 1X02: Chapter 2 | Crítica

A elogiada estreia de Legion elevou o nível das produções da Marvel na TV Americana. Buscando apresentar a série para um público fã das produções de Noah Hawley, um dos responsáveis pelo sucesso de Fargo na TV. A expectativa gerada em sua estreia, precisa dar lugar para que a série mostre ao que venho.

Com oito episódios confirmados em sua primeira temporada, Legion tem a missão de levar o mundo dos mutantes da Marvel à TV. David Haller é o centro das atenções da série. David Charles Haller, conhecido como Legião nos quadrinhos fez sua primeira aparição na revista New Mutants #25 em março de 1985. Criado por Chris Claremont e Bill Sienkiewicz, o personagem é filho do Professor Charles Xavier e Gabrielle Haller, uma israelense embaixadora da Grã-Bretanha. Entre suas principais habilidades estão: telepatia, telecinese e pirocinese. Seus pais tiveram um breve romance em Israel. Gabrielle manteve o segredo de ter um filho do mais importante mutante dos quadrinhos durante muito tempo, nem mesmo o Professor Xavier ficou sabendo da existência do filho.

O segundo episódio de Legion busca estabelecer uma conexão com o público. Apresentados os personagens centrais da história, a trama começa a se movimentar e mostrando que seu desenvolvimento deve ser lento, focando parte do tempo de tela em David Haller (Dan Stevens). Agora com a ajuda de sua ‘namorada’ que não pode ser tocada, o personagem contará com a ajuda dos profissionais de um lugar que abriga pessoas com os mais diversos poderes. Summerland representa em Legion o que a Mansão do Professor Xavier é para os X-Men. Um lugar considerado seguro onde os mutantes são levados para conhecerem seus poderes e por fim dominá-los. E não é diferente o caminho que o roteiro de Noah Hawley aponta para os telespectadores.

O primeiro ponto há ser trabalhado em David é aceitar que ele não tem Esquizofrenia e sim poderes telecinéticos. O controle das vozes que deixam o personagem tão agitado é o primeiro desafio de Melanie Bird (Jean Smart), que está sendo de vital importância para que David entenda melhor sobre seus poderes.

O grande acerto de Legion é não preocupar-se em entregar aos telespectadores uma série cheia de referências com o Universo Cinematográfico dos X-Men. A série abusa de sua liberdade criativa, mas não está presa em acontecimentos já narrados nos cinemas. Essa independência contribui para que a série consiga ter sua própria identidade. Um dos problemas em Legion está no ritmo em que a série adotou. Esse pode ser o fator que pode fazer com que a série perca seu público. Legion tem uma qualidade visual impecável, mas o roteiro não consegue acompanhar.

A série flerta com o drama, quando deveria focar em ser uma adaptação de um personagem dos quadrinhos, fincar de vez as suas origens na ficção. Esse é o caminho que provavelmente não haverá maiores danos e perda do interesse do público.

Legion apresenta uma qualidade quase rara em séries de TV cujas adaptações são inspiradas em personagens das HQs, mas precisa preocupar-se menos em repetir a linguagem poética de Fargo e focar-se em si mesmo, antes que seja tarde demais.

Nota: ✩✩✩✩✩

Título: Legion
Episódio: 1X02 – Chapter 2
Exibição: FX (EUA) | FX (Brasil)
Lançamento: 15 de Fevereiro de 2017 (EUA) | 16 de Fevereiro de 2017 (Brasil)
Elenco: Dan Stevens, Rachel Keller, Aubrey Plaza, Bill Irwin, Jeremie Harris, Amber Midthunder, Katie Aselton, Jean Smart e Hamish Linklater
Direção: Michael Uppendahl
Roteiro: Noah Hawley
Produtores: Noah Hawley, John Cameron, Lauren Shuler Donner, Bryan Singer, Simon Kinberg, Steve Blackman, Jeph Loeb, Jim Chory, Alan Fine, Stan Lee, Joe Quesada, Karim Zreik e Brian Leslie Parker

Leia mais sobre Legion