Cinema

O Homem de Aço | Crítica

O Superman figura entre os personagens mais conhecidos na cultura pop. Quem nunca ouviu falar do personagem? Suas aparições nos quadrinhos, séries de TV e cinema sempre foram rodeadas de grande sucesso. Em 2013, a Warner resolve reviver o personagem nos cinemas, após o filme Superman: Returns com Brandon Routh vivendo o personagem. A crítica e público em geral, acabou fazendo mais críticas negativas do que o filme merecia e neste momento começou-se a pensar em um reboot para todo Universo da DC nos Cinemas. A tentativa frustrada com Lanterna Verde em 2011 acabou marcando negativamente esse reinício que foi pela segunda vez repensado, mas agora com o retorno de um personagem de peso, o Superman, vivido pelo quase desconhecido Henry Cavill.

Com um orçamento de US$ 225 milhões de doláres, a produção acabou dividindo opiniões. Alguns o consideravam obscuro demais e não condizia com o verdadeiro símbolo que o personagem sempre representou desde sua criação, a Esperança. O Homem de Aço ainda precisou lidar com o estigma que todo filme de super-herói precisa ser politicamente correto, já que o bem sucedido Universo Cinematográfico da Marvel começou a ser formar e ganhar notoriedade neste ano.

Explorando todo o Universo criado em torno do Superman, o filme chega com uma nova linguagem e apostando em uma mensagem mais adulta, o que causou estranheza no público e crítica. Abordando mais do mesmo, mas com um novo olhar à franquia, O Homem de Aço surpreende com seu visual e efeitos, mas não causa essa mesma surpresa com o roteiro e por consequência com o desenvolvimento de seus personagens. O filme inicia com a famosa necessidade de se contar a origem do personagem, como se não houvesse sido retratada tantas outras vezes. A trama para apresentar o vilão é despretensiosa e acaba dando ao filme um antagonista pouco engajado.

Henry Cavill é pela primeira vez o Superman e sua ideia do personagem destoa do que de fato,  ele representa ao longo de tantos anos. Essa mudança personagens e trama caminhem por um único caminho, fazendo que os atores não consigam atingir as expectativas de quem busca o tão esperado início do Universo Estendido da DC nos cinemas.

O visual de Krypton chama atenção e os efeitos do filme não deixam a desejar, sendo um dos pontos que mais chamam atenção. A DC encontrou um caminho para delinear seus efeitos especiais, sem que estes soem superficiais demais. O que falta em O Homem de Aço é justamente alguns acertos de tons. O público não busca um filme repleto de piadas, mas algo continua sério demais nas interações destes personagens. O filme é dividido em três atos: 1- Origem e destruição de Krypton; 2- Clark Kent tentando se conhecer e 3- Superman assumindo seus atos.

O Homem de Aço está longe de ser um filme ruim, mas longe ainda de ser o filme perfeito do personagem. Algumas mudanças nos tons dos personagens que aparecerão em possíveis continuações e em outras produções torna-se missão prioritária, uma revisão de onde a DC quer chegar com o personagem e o quanto de esperança, ele realmente representa.

Nota: ✩✩✩

Título: O Homem de Aço
Título Original: Man of Steel
Estúdio: Warner Bros. Pictures
Lançamento: 12 de Julho de 2013
Gênero: Ação e Ficção Científica
Elenco: Henry Cavill, Amy Adams, Michael Shannon, Diane Lane, Russell Crowe, Ayelet Zurer, Laurence Fishburne, Dylan Sprayberry, Cooper Timberline, Antje Traue, Harry Lennix, Richard Schiff, Christopher Meloni e Kevin Costner
Duração: 2h23min
Direção: Zack Snyder
Roteiro: David S. Goyer
Produção: Charles Roven, Christopher Nolan, Emma Thomas e Deborah Snyder

Leia mais sobre Superman