Livros

A última mensagem de Hiroshima, de Takashi Morita | Resenha

Lançado pela Editora Universo dos Livros, A última mensagem de Hiroshima relata a história de um sobrevivente de um dos ataques por bomba que mais dizimou pessoas. O ataque em questão ocorreu em 6 de agosto de 1945 quando os Estados Unidos lançou a arma nuclear que foi responsável pela morte de quase 250 mil pessoas na cidade de Hiroshima.

Takashi Morita, hoje residente no Brasil, mas que vivenciou todo o horror da Guerra e suas consequências que vão muito além das vidas que são destruídas direta ou indiretamente. A história de superação de Takashi Morita é sem dúvida uma lição que o leitor levará consigo por muito tempo e principalmente sua vida de superação. A narrativa do livro é simples e de fácil assimilação pelo leitor. A última mensagem de Hiroshima acerta em cheio ao abordar o seu público com uma linguagem acessível.

A história de Takashi Morita é contada desde o seu nascimento, onde daria indícios que não estaria neste mundo por acaso. Após um alarme falso em seu parto, o jovem teria sua vida colocada em risco com a necessidade de seu alistamento para prestar serviços ao Governo Japonês, exercendo sua função de soldado. Superação é uma palavra que acompanha o senhor Morita ao longo da sua vida, pois mesmo com todos os problemas e dificuldades enfrentados por meio de seu relato pessoal, sua fé em que dias melhores deviam chegar ao seu povo estão explícitos em cada parte do livro.

Presencia um dos piores momentos da história da humanidade, o bombardeio da cidade de Hiroshima e ainda seu extinto de ajudar o próximo se coloca à frente de qualquer coisa. Com o fim da Guerra, o senhor Morita ainda teria que conviver com as dificuldades e o preconceito pelas possíveis conseqüências da radiação em que foi exposto em 6 de agosto de 1945.

Ao longo de quase 200 páginas conhecemos esse relato da vida do senhor Morita que acabaria culminando em uma vida em prol daqueles que tiveram suas vidas afetadas pelo ataques a Hiroshima e Nagasaki no Brasil. Sua chegada no Brasil em 1956 por meio de um convite de um casal japonês que já residia no pais e o considerava o país das maravilhas. Onze anos após os ataques, Morita desembarcaria no Brasil com sua família após uma viagem de navio que durou 45 dias.

Chegando ao país que possuía a maior colônia de japoneses fora do Japão, Morita encontraria uma série de dificuldades, ainda assim todas seriam superadas, culminando na fundação em 1984 da Associação Hibakusha Brasil pela Paz, que tinha como objetivo lutar pelos direitos das sobreviventes do ataques residentes no Brasil.

A última mensagem de Hiroshima é um livro emocionante e que até sua última linha é uma grande lição de vida. Com uma narrativa simples, ágil e objetiva leva o leitor há um dos acontecimentos mais devastadores da história da humanidade, através de um relato pessoal e repleto de superação.

Nota: ✩✩✩✩✩

Título: A última mensagem de Hiroshima
Editora: Universo dos Livros
Autor: Takashi Morita
Capa: Brochura
Valor: R$ 39,90
Quantidade de Páginas: 200
Sinopse: Como sobreviver com a mente cheia de memórias da Segunda Guerra Mundial? Como lidar com o trauma de ter presenciado a destruição arrebatadora de uma bomba atômica praticamente ao seu lado? E como pensar em salvar civis quando sua própria vida está em jogo? Conheça neste livro a história do Sr. Takashi Morita, sobrevivente da bomba atômica que dizimou milhares de seres humanos e que até hoje manifesta efeitos na saúde física e mental da população de Hiroshima e de Nagasaki. Era 6 de agosto de 1945. Ninguém poderia prever, mas foi neste dia que a vida de inúmeros japoneses – e das gerações subsequentes – mudaria para sempre. As consequências da bomba atômica foram devastadoras, e não apenas no que diz respeito à saúde daqueles que se encontravam nas imediações do epicentro, como é o caso do Sr. Takashi, que exercia o ofício de soldado na época. Para além das numerosas enfermidades oriundas da intensa radiação emitida em Hiroshima e Nagasaki, os atingidos pelas bombas sofreram muita discriminação, principalmente pelo fato de as consequências decorrentes da radiação para os sobreviventes e seus descendentes serem ainda uma incógnita. Após sofrer situações tão devastadoras como as que o Sr. Takashi viveu, muitos de nós provavelmente sucumbiríamos ao rancor. A sabedoria, no entanto, com a qual ele enfrentou suas memórias mais sombrias é inspiradora. Quando questionado a respeito de suas mágoas com relação aos norte-americanos, responsáveis pelo envio da bomba atômica a Hiroshima, o veterano responde: “Estavam apenas fazendo o seu trabalho.” O perdão, a compreensão, a empatia e todos os laços e fortalezas construídos em detrimento de um passado que é impossível de esquecer são lições que o Sr. Takashi, agora um comerciante de 92 anos que vive no Brasil, visa nos ensinar neste emocionante relato. Sobre o autor: Takashi Morita é um sobrevivente por excelência. Nasceu em 1924, em Hiroshima, e tornou-se membro da Kempeitai, temida Polícia Militar do Exército Imperial do Japão. Takashi presenciou situações que marcariam com destruição tanto o Japão como o mundo: o bombardeio de Tóquio em março de 1945, além de um dos mais sangrentos eventos da época: a bomba atômica de Hiroshima. Imigrou para o Brasil em 1956, onde fundou, em 1984, a Associação Hibakusha Brasil pela Paz, com o intuito de lutar pelo auxílio aos sobreviventes. Hoje, aos 92 anos, propaga uma forte mensagem de esperança e crença na paz, pautada também no combate à guerra e às armas nucleares.

Livro cedido para Resenha pela Editora Universo dos Livros.

Leia mais sobre Livros