Com roteiro de Scott Snyder e arte Jock, Wytches foi publicada nos Estados Unidos pela Image Comics e lançada no Brasil pela Editora Darkside, através de seu novo selo editoral, focado em quadrinhos. A temática da publicação é um ponto certeiro ao mercado nacional sendo trazido por uma Editora que buscou ao longo dos anos, este nicho ignorado durante anos. Sendo publicada pela Image Comics, a equipe criativa da graphic novel acaba contando com uma liberdade que não seria igual em outras editoras americanas, principalmente quando nos lembramos de Marvel e DC Comics, as grandes casas dos quadrinhos. Não necessariamente é uma crítica as duas editoras, mas cada uma especializou-se naquilo em que melhor sabia fazer, as publicações de heróis.

Wytches é uma graphic novel que mistura suspense com uma boa dose de terror. É impossível quem nunca ouviu falar nas contribuições positivas em que Scott Snyder trouxe às publicações do Batman, sua facilidade em contar histórias sombrias e conduzir seus personagens ao clímax de suas jornadas, é sem dúvida uma característica muito própria de suas publicações. E essa sua habilidade faz com que o roteirista crie uma história interessante em Wytches. Começando com um flashback somos apresentados ao universo das bruxas criadas por Snyder que recebem vida pelas mãos de Jock, com uma arte impecável. Sem perder tempo, em logo entregar ao leitor toda a problemática da graphic novel, utilizando um contexto clichê, mas que é satisfatoriamente explicado ao longo dos seis capítulos que compõe este primeiro volume.

A família Rooks se muda para Litchfield, em New Hampshire, buscando uma nova vida, após traumas vividos por Sailor. Esse trauma é rapidamente apresentado com as primeiras pistas, principalmente detalhados pela personalidade introspectiva de Sailor, que agora se encontra com dificuldade em se socializar com outras pessoas e contará com o apoio de seu pai (principalmente) e sua mãe. Mas e as bruxas? – Sim, elas existem. Por incrível que se pareça, o grande mito que envolve as bruxas na graphic novel não é desenvolvido como eixo central da história. Snyder foca as cenas na construção dos personagens que estarão envolvidos com o desfecho e a grande revelação, sem desperdiçar esses momentos, para encher páginas com tramas que não seriam eficientes.

Graças ao pai engajado que tem, Sailor acaba encontrando nele uma espécie de porto seguro nas suas inquietações, mesmo quando algo terrível e inexplicável acontece na floresta com uma garota que está ameaçando-a, mas tarde descobre-se que tudo não passou de uma armação. Mas graças ao que aconteceu a essa garota, Sailor acaba sendo jurada às bruxas e com isso a história desenvolve-se ainda mais. As bruxas que abrigam a floresta acabam recebendo juras de algumas pessoas que buscam algum objetivo e essa jura, geralmente está associado em entregar uma pessoa para que elas possam se ‘alimentar’. Como se não bastasse, uma cidade inteira guarda segredos e inclusive a mãe de Sailor, revelando-se a grande vilã da história.

Com 192 páginas, Wytches conta com seis capítulos e uma série de materiais extras, que foram cuidadosamente traduzidos para a versão nacional, contribuindo assim com a experiência do leitor, que é ampliada, dada a quantidade de material. A arte da publicação é de muito bom gosto e mostra o quão interessante é a parceria entre Scott Snyder e Jock, e o quanto o trabalho de ambos consegue guiar o leitor para uma boa experiência e realmente questionar-se o quanto ainda poderemos conhecer da Família Rooks. Com uma qualidade que justifica o investimos, Wytches é aquele tipo de história que tem um começo, meio e fim que não te decepciona.

Nota: ✩✩✩

Título: Wytches
Título Original: Wytches
Editora: Image Comics | DarkSide Books
Roteiro: Scott Snyder
Arte: Jock
Cores: Matt Hollingsworth
Letras: Clem Robins
Editor Original: David Brothers
Tradução: Érico Assis
Número de Páginas: 192
Lançamento: Julho/2017
Valor: R$ 59,90
Sinopse: Esqueça tudo o que você já ouviu falar sobre bruxas; quase todas as informações devem estar erradas, de qualquer forma. Aquilo que você aprendeu na escola — que, por séculos, centenas de pessoas foram queimadas, torturadas, perseguidas e assassinadas por bruxaria — é um fato. O que ninguém contou para você é que essas pessoas morreram para proteger uma terrível realidade escondida dos meros mortais: bruxas, bruxas de verdade, existem e estão por aí. Elas são criaturas muito mais perversas e diabólicas do que você poderia pensar — e, portanto, muito mais assustadoras. Ver uma é coisa rara; sobreviver a elas é mais raro ainda. [LEIA MAIS]

Leia mais sobre Quadrinhos